Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Princesa Sem Tiara

Blog pessoal, de alguém que pela escrita é apaixonada e à moda já há muito se rendeu!

25
Jun14

Aplaudo Daniela, Aplaudo!

Lembro-me dela antes de se mudar de armas e bagagens para os Estados Unidos. Não  a equiparava é certo a uma actiz de excelência por quem as estações televisivas lutavam por um contrato de exclusividade. Eu e, muitos. Uma actriz com talento é certo, mas onde ninguém imaginaria que poderia prosperar a ser uma das actrizes mais cobiçadas. Quando decidiu lutar pelo seu sonho lá fora e, dizer adeus num país onde deu cartas e, era o seu, houve quem criticasse esta sua audácia de procurar num país cheio de grandes o seu lugar. Com o talento e, a preserverança questionada, Daniela Ruah calou as críticas e,  tirou as teimas numa luta de egos e, de manchetes. Conquistou o seu lugar na terra dos grammy's e, dos óscares. Hoje é uma das protagonistas de uma série de sucesso na terra dos sonhos e, as imprensa que antes criticava agora anseia por uma entrevista com ela. É engraçado como tudo muda. Em entrevista com o Daniel Oliveira no Alta Definição, disse que lá sentia-se em casa e, habituou-se a criar lá o seu cantinho, admitindo como foi difícil fazer-se à estrada. Hoje Daniela Ruah, não é simplesmente uma atriz que entrou à uns anos em novelas da TVI, mas a bela portuguesa que faz sucesso nos Estados Unidos. Não pensei que ela fosse casar cá. Que viesse comemorar um dos dias mais especiais da sua vida num país onde ainda muitos comentadores a criticam. Foi superior e, fê-lo com elegância, num vestido Rosa Clará, na passada quinta-feira em Cascais onde Daniela Ruah casou com o irmão do seu parceiro na série, David Paul Olsen. Foi um dia de alvoroço entre a imprensa, pelo triunfo da que pôde estar presente e a inquietação dos que esperaram pelas imagens de um casamento aguardado pelo seu mediatismo num enredo secreto e, diga-se de passagem para infelicidade de muitos. É irónico, como Cascais foi o seu local escolhido quando ela podia ter simplesmente optado por Los Angeles e, deixar este país para trás. Mas não. A rapariga tem fibra e, nisso eu aplaudo. O carácter e, a preserverança de alguém que veio celebrar a sua felicidade e, o seu sucesso num caminho que ela percorreu sem facilidades num país que em nada o facilitou. 

 

16 comentários

Comentar post

Pág. 1/2