Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Princesa Sem Tiara

Blog pessoal, de alguém que pela escrita é apaixonada e à moda já há muito se rendeu!

Walking on Desires!

Sem Título.png

 

 

 

Caminhámos sobre desejos, todos os dias. Acordámos de manhã sem saber o que esse dia nos reserva. Vivemos pela vida, à sua mercê, como fosse uma viagem de comboio e nunca sabemos qual a paragem. A porta de embarque é sempre a mesma. A manhã de cada dia. O percurso faz-se pela rua que nos leva. Dia fora. Vida dentro. Caminhando sobre desejos. De um dia, de projetos de uma vida. No meio do incerto é permitido sonhar. E, desejar também. Afinal de contas, os sonhos são as ambições do lunático e os desejos a vontade do empreendedor. E eu, tenho estrada fora há minha frente, e uma data de vontades na gaveta dos desejos. De um salto alto. Clássico que pede contrastes. Como a vida. De alguém que faz das leis profissão e encontra na escrita o segundo amor, enquanto deseja as entrevistas de uma veia jornalística que jamais imaginaria. 

A Máscara!

237283474086560734_fKnFv2us_c.jpg

 

 

Poderia falar-vos do Carnaval, que dele é o dia. Já fui chinesa, já fui princesa, dama e até fada e um morango. E se há Carnaval que não deixa esquecer, são as memórias dos desfiles da freguesia. Todos diferentes, com a mesma alegria. Chuva ou sol, nada estragava a festa dos foliões. Nem a parada dos que se esmeravam para ganhar os prémios da maior fatiota. E chegava ao fim da tarde ao jogar ao quem é quem com muitos. Ficavam por revelar. Vestiam a personagem, a rigor. Era uma risota vê-los a interpretar. O bêbedo, o ladrão, o astronauta, a mulher que não o era. Não sou pessoa de Carnaval, nem da folia que se pede. Mas sabe bem vestir a máscara, nem que seja um dia. E ser a fantasia que nos diferencia. Uma polícia, a enfermeira, a indiana, a minnie, porque não?! Lembro-me de encher os sacos no dia anterior. Reuniam-se os primos com rolos e rolos de serpentinas e se já não haviam confetis, cortavamos as serpetinas. Nada dava mais alegria do que soprar aqueles rolos de serpentinas ou atirar uma mão cheia de confetis. Afinal, é Carnaval e ninguém o leva a mal. Joguem os confetis para o ar. Soprem as serprentinas. E no meio, deixem ir junto os problemas, as tristezas e o lado sério da vida. Que o dia é de folia e o Carnaval é alegria. 

 





Ângela Santos | Braga
aprincesasemtiara@gmail.com



Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D